? ?

Salão Paulista de CutelariaMestres do Aço 2015

A linguagem acadêmica nos diz que o artista não tem compromisso com a funcionalidade, apenas com a estética. Livre então, para criar sem estar contido a qualquer formato. O artesão, no entanto, parte de uma habilidade aprendida, que lhe caberá desenvolver e aprimorar, na transformação dos materiais, mas estará sempre contido pelos limites do objeto utilitário. Criar, não se iludam, não é privilégio de um ou de outro, ambos criam, aos contornos da liberdade de suas mentes. A arte e artesanato transformam os materiais, apenas com objetivos diferentes. O domínio sobre as técnicas que operam essas transformações, não se enganem também aqui, muitas vezes é maior no artesão do que no artista.

O que os estudiosos das habilidades humanas muitas vezes não se apercebem, é que não existe um limite definido, de onde termina a arte e começa o artesanato, ou disso o contrário. As vinte e quatro facas aqui expostas, executadas pelo cuteleiro Rodrigo Sfreddo são prova maior dessa sobreposição. Alma de artista, mãos de artesão.

Os limites físicos do objeto utilitário, faca, para Rodrigo Sfreddo, parecem não existir.

A faca lhe cai como uma tela ao pintor.

Sujeita-se a ela, posto ser faca.

E em muito a ultrapassa, quando sua beleza nos tira o fôlego!

Vão “de quebra” quatro criações de Véronique Laurent e mais duas de Jean-louis Regel. Ambos são alunos de Sfreddo, a nos mostrar que o bom mestre, menos conduz e mais ilumina os caminhos. Cada pupilo, vivente livre, chega onde sua vontade, criatividade e habilidade levarem.

Véronique é belga, tem 47 anos e é cuteleira há onze. Sua paixão, dita por ela mesma, é o forjar das lâminas em damascos e, lançando mão dos recursos modernos de corte e desbaste, poder produzir facas que combinam o velho e o novo.

Jean Louis nasceu na Ilha da Reunião, uma possessão francesa ao sudeste da África, a oeste de Madagascar. Tem 42 anos e começou a forjar há 12. Sua especialidade é produzir o aço de suas lâminas num processo ancestral de fundição, cujo produto, batizado Wootz, é o princípio da metalurgia do aço.

Hélio Barreiros Junior

  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
  • Clique aqui para abrir
?

Vanfersil


Lince Imports


Rei da Cutelaria


SBC AGC

SBC


Silvana Art Knives


Ame